pictureName

Blog

  • pictureName

Enzima Protease: Pesquisa aponta 12% de ganho de peso em criação de alevinos de tilápia.


Uma pesquisa realizada pela Safeeds Aditivos para nutrição animal e a Universidade Federal do Paraná UFPR (Palotina) revelou que o uso de enzima protease AG175 melhorou em 12% o ganho de peso em alevinos de tilápia.

Além do melhor desempenho zootécnico dos peixes, a pesquisa revelou ainda que houve melhora na Conversão alimentar (C.A.) obtendo-se ainda melhor rendimento de carcaça dos animais.

Segundo o coordenador do Departamento Técnico da Safeeds, Wagner da Silva, os alimentos para peixes, normalmente são mais caros que as demais formulações, devido ao alto teor proteico presente nas formulações e a utilização de alimentos de alto valor biológico (farinhas de peixes e vísceras), sem contar ainda com elevado custo de extrusão. A inclusão da protease apresenta diversas vantagens: permite economia de custos, melhoria de eficiência nutricional e utilização de ingredientes menos digestíveis. O objetivo de usar a protease na nutrição de peixes é complementar a fisiologia natural com o propósito de melhorar seu rendimento e/ou mantê-lo, no caso do uso de ingredientes de menor custo”, relata o Zootecnista. As enzimas também são consideradas importantes na redução da contaminação ambiental, auxiliando a digestibilidade dos nutrientes, o que reduz a eliminação de excretas na água, obtendo-se assim um melhor ambiente de cultivo.

Outro benefício que a pesquisa revelou é o melhor rendimento de filé, apesar dos animais serem jovens, demonstram que a utilização da protease exógena pode ajudar na deposição de carne na carcaça. Resultado este que pode ser explicado através da melhoria das vilosidades intestinais (51%), possibilitando uma maior área de absorção dos nutrientes.

A enzima protease é um aditivo que pode ser utilizada em todas as espécies de peixes e permite incorporar tecnologia ao processo de produção de ração para a indústria e consequentemente auxiliar aos piscicultores a obter um melhor resultado, explorando fontes protéicas que normalmente estão restritas nas formulações. O grande diferencial é que AG175 é uma protease naturalmente resistente aos processos de peletização e extrusão e registrada para uso em peixes e demais espécies de aquicultura.

“Estamos focando e investindo na pesquisa, para suprir nossos clientes com soluções tecnológicas e diferenciadas. Este resultado foi muito satisfatório, pois comprova que temos um produto eficaz e economicamente acessível”, ressalta o coordenador. Mais informações pelo email: wagner@safeeds.com.br.


Tags